Imprimir

Imprimir Artigo

11/03/2024 - 12:44

Consumado

O que previ aqui neste espaço sobre o comportamento político futuro do ex-prefeito de Cáceres, Francis Maris, se concretizou. Ele abandonou o PSDB e foi para o PL por puro oportunismo político. Vai tentar usar o ex-presidente Bolsonaro e seus simpatizantes para voltar a prefeitura. Sem grupo político e muito menos chapa de vereador, a sua estratégia será convencer os pré-candidatos Leandro dos Santos (UB), doutor Leonardo (Republicanos), Sergio Arruda (PP) e Vicente Palmiro (MDB), a recuarem e lhe apoiar. Como Francis não é político, dificilmente conseguirá o convencimento local, por isso deve buscar acertar os apoios com os caciques em Cuiabá e Brasília. Com a saída de Francis e do vereador Marcos Ribeiro, o PSDB cacerense vai esfacelar. Estou ansioso para ver o ato de lançamento de sua pré-candidatura em Cáceres. Por enquanto o melhor ato de pré-campanha em Cáceres, foi o de Sergio Arruda, que contou com uma saborosa peixada. Para superar, Francis precisa pedir a doação de caminhões de boi, como fez na campanha passada. Daí ele tira uns cinco para fazer assado no rolete. Ai lota viu kkkkkkkkkk.
 
Cabo eleitoral
 
O maior trunfo eleitoral para a prefeita de Cáceres, Eliene Liberato Dias (PSB) será a candidatura do ex-prefeito Francis Maris (PL). Ele vai dar oportunidade a população de comparar o que ambos fizeram. A conversa dele que a cidade regrediu não se sustenta, pelo contrário. Nunca se viu tanta reforma de escolas, de saúde e asfalto na cidade. Aliás, vaidoso que é, acredito que a candidatura se dá mais é por ciúmes mesmo. Só para dar um exemplo, enquanto Francis não conseguiu instalar nenhum ar-condicionado nas escolas, Eliene vai chagar ao fim do semestre com todas as salas climatizadas.
 
Errou de novo
 
O ex-prefeito de Cáceres, Francis Maris (PL), que con$eguiu assumir pela segunda vez como deputado estadual, desta feita com o propósito de turbinar sua pré-candidatura a prefeito, na minha opinião, queimou a ‘porva’ atoa. Ele não tem emenda e muito menos prestigio junto ao governador Mauro Mendes (UB), que o acha soberbo. O governador já avisou que se o UB não tiver candidato, vai apoiar a reeleição de Eliene.
 
Cisão
 
A aliança política entre os vereadores Marcos Ribeiro e professor Leandro dos Santos, deve acabar na convenção para escolha de candidatos a vereador pelo PSD, para onde ambos estão indo. O alerta foi dado indiretamente pelo próprio Marcos Ribeiro em entrevista recente ao Jornal O Comunitário. Marcos não quer que Leandro concorra com ele a vereador, mas eu tenho certeza que vai, por isso aposto que a parceria entre ambos já tem hora para acabar.
 
Devagar
 
Dos seis pré-candidatos a prefeito de Cáceres, o único que ainda não colocou o bloco na rua oficialmente é Vicente Palmiro que deve ir para o MDB. Essa demora prejudica principalmente a montagem de chapa de vereador e a conquista de apoios. A Coluna apurou que ao menos quatro pré-candidatos que haviam manifestado apoio a sua pré-candidatura já mudaram de ideia. Três decidiram apoiar a reeleição da prefeita Eliene Liberato Dias (PSB) e um bolsonarista evangélico militar da reserva, decidiu ir para o PL para onde foi o ex-prefeito Francis Maris.
 
Sinais
 
A proximidade do office boy do ministro senador Carlo Favaro com o cardiologista Sérgio Arruda confirma o que tenho dito aqui neste espaço. O vereador professor Leandro dos Santos só será candidato a prefeito de Cáceres pelo PSD quando ‘galinha criar dente’. O PSD tem acordo de apoiar candidatos do PT, só que os baba ovo que estão mamando no ‘bebezão’, não querem engolir isso. Eles ignoram que o dinheiro que eles recebem do boy, vem do trampo que ele e Favaro tem no governo do PT.
 
Furo
 
O ex-deputado federal doutor Leonardo (Republicanos), foi convidado para assumir a presidência do União Brasil em Cáceres. Também foi estimulado a concorrer a prefeito este ano pela legenda do governador Mauro Mendes. A missão dada a Leonardo, que é coordenador do escritório de representação do Estado, em Brasília, é construir uma chapa de vereadores e fortalecer o UB em Cáceres.
 
Risco
 
Dia 5 de abril acaba o prazo para vereadores mudarem de partido sem perderem o mandato. É neste momento que se ganha ou perder uma reeleição. Se ir para um partido ou uma federação que não fará legenda, está liquidado por antecipação. Neste aspecto, é preferível concorrer em uma chapa forte do que correr o risco. O presidente da Câmara de Vereadores, Luiz Landim (PV), é um exemplo de que é melhor não arriscar. Com grandes chances de reeleição pela Federação Brasil da Esperança, formada pelo PC do C e o PT, pode não continuar na Câmara se for para o MDB ou PL.
 
Chapa
 
Por falar na Federação Brasil da Esperança, o nome da professora da Unemat, Luciene Neves do PC do B, é quase uma unanimidade para ser candidata a vice-prefeita em dobradinha com o petista James Cabral. Politizada e popular, Luciene é uma das maiores ativistas do movimento LGBTQI+ de Mato Grosso, pioneira na defesa dos direitos da minoria. Se concorrer a vereadora, tem grandes chances de chegar a Câmara de Cáceres.
Imprimir