Imprimir

Imprimir Artigo

27/10/2009 - 00:00

Escolas de Cáceres podem ter grêmios para ações coletivas

Correio Cacerense A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) debate com estudantes de 26 municípios do Estado a implantação de grêmios em unidades escolares. Durante três dias, de 9 a 11 de novembro, a Gerência de Programas e Projetos, da Seduc, debaterá com o público convidado ações de protagonismo juvenil na escola, durante o I Encontro da Juventude. “O jovem vai conhecer mecanismos para fazer o diagnóstico situacional do ambiente escolar”, destaca a organizadora do encontro na Seduc, Angélica Ibraim Souza, ao acrescentar que a agremiação é uma "forma de organização para as ações coletivas na unidade escolar e fora dela”. Os participantes do encontro são de escolas que já desenvolvem algum tipo de mobilização coletiva. A maioria atua no projeto de Saúde e Prevenção na Escola (SPE), realizado em parceria com a Seduc e Secretaria de Estado de Saúde. “Partimos da proposta de jovens que já desenvolvem alguma ação protagonista”, diz. Atualmente, segundo Angélica, existem mais de 20 projetos em andamento nas escolas (Jovem Embaixador, Coletivo Jovem, Saúde e Prevenção na Escola – SPE, Olimpíadas de Língua Portuguesa, Matemática, Rede Escola que Protege, Mais Educação, Escola Aberta, Parlamento Jovem Federal , Rede Cidadã , Educom-Radio, Jogos Escolares e outros). A proposta da Seduc como fomentadora da proposta de formação de grêmios é criar lideranças, seres politizados. “Acreditamos que líderes são pessoas com conhecimento, contatos e articulação para fazerem escolhas”, conclui. A proposta é que todas as escolas do Estado formem agremiações. Esse encontro terá representantes dos municípios de Água Boa, Apiacás, Cáceres, Chapada dos Guimarães, Confresa, Juara, Juína, Lucas do Rio Verde, Matupá, Peixoto de Azevedo, Diamantino, Colíder, Canarana, Barra do Garças, Alta Floresta, Porto Alegre do Norte, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste, Rondonópolis, Sorriso, Sinop, Tangará da Serra, Vila Bela da Santíssima Trindade, Cuiabá e Várzea Grande. Imprimir