Imprimir

Imprimir Artigo

09/04/2009 - 00:00

II Encontro dos Municípios de Fronteira vai ser realizadonos de 22 a 26 em San Ignacio na Bolívia

Da Assessoria Sebrae/MT A definição de um plano de ação comum para alavancar a relação bilateral Mato Grosso-Bolívia principalmente nos setores de turismo, artesanato e cultura é o principal foco do II Encontro dos Municípios de Fronteira, a ser realizado de 22 a 26 de abril. Além do Sebrae/MT, em San Ignacio de Velasco (Bolívia), a reunião de trabalho reúne as secretarias do governo de Mato Grosso (Indústria Comércio, Minas e Energia - Sicme; Casa Civil; Casa Militar; Desenvolvimento do Turismo - Sedtur; Planejamento - Seplan e autoridades bolivianas. A diretora do Sebrae/MT, Eneida Oliveira, cita que a aproximação entre Bolívia e Mato Grosso se acelerou nos últimos anos, com encontros e reuniões mais frequentes de empresários e técnicos governamentais de ambos os lados, principalmente a partir de 2007. Em 2005, por exemplo, o governador Blairo Maggi, com a missão de verificar o potencial para negócios do Estado com o país e portos do Pacífico realizou o Estradeiro Internacional e visitou a Bolívia. O incentivo tem apresentado resultados, segundo dados de exportação da Sicme. No encontro de San Ignacio, explica Eneida há grande potencial para se incrementar, por exemplo o turismo, uma vez que áreas contínuas entre Mato Grosso e o país têm atrativos de recursos naturais e arquitetônicos. As igrejas das Missões Jesuítas em madeira talhada de San Ignacio e região foram declaradas Patrimônio da Humanidade pela Unesco. No Departamento (estado) de Santa Cruz, onde está a cidade há ainda, na fronteira com Mato Grosso, Rondônia e Acre, o Parque Nacional Noel Kempff Mercado, com 914 mil hectares, criado há 30 anos. No lado brasileiro, há o Pantanal da região Oeste de Mato Grosso, cuja cidade de Cáceres é listada pelo Ministério do Turismo brasileiro como indutora da atividade, entre cerca de 60 municípios no Brasil. "Podemos, a partir de um plano de ação conjunto, aproveitar o fluxo de turistas que vão ao Parque Noel Kempff e missões jesuítas e trazê-los para visitar o Pantanal. Como há possibilidade de levar turistas do Pantanal para o parque boliviano e e as missões jesuítas. O encontro em San Ignacio é parte do processo de ambos países se conhecerem melhor e terem um planejamento de negócio para minimizar os gargalos e potencializar recursos", afirma. Imprimir