Notícias / Politica

06/08/2022 - 08:25

Estudantes alegam descumprimento de acordo de bolsas pela Udabol, Deputada Valdeníria se solidariza

Por Jornal Correio Cacerense

Assessoria

 (Crédito: Assessoria)
Vinte e três estudantes de Cáceres e região, integrantes da turma 2017/2018, que cursam medicina na Bolívia alegam suspensão repentina das bolsas de estudo fornecidas pela Universidade de Aquino Bolívia – Udabol.

As bolsas foram concedidas dentro do Programa de Integração Brasil/Bolívia, quando em 2015 foi firmado uma parceria da universidade com o Consulado da Bolívia em Cáceres.

Segundo os estudantes, a direção da Udabol alega descumprimento por parte do Consulado e por esse motivo terão que pagar as mensalidades do ano vigente. Diante desse fato, pais e estudantes estiveram  na sede do Consulado em Cáceres cobrando posicionamento do Cônsul, David Pérez Rapu, referente ao acordo.

Por sua vez, o Cônsul David informou que não é de seu conhecimento e nem consta no Consulado nenhum documento que formalize essa parceria e que solicitará informações junto aos órgãos competentes para dar uma posição aos pais e estudantes na próxima semana.

A deputada Valdeníria Dutra, ao tomar conhecimento da situação, conversou com os pais e com o Cônsul, colocando à disposição suporte jurídico, bem como assumindo o compromisso de intermediar conversa com autoridades competentes brasileiras e bolivianas.

A deputada também informou que na próxima semana tem uma agenda com o Governador Mauro Mendes e que fará o encaminhamento dessa situação também.

“É inadmissível que isso esteja acontecendo, a esses estudantes deve ser garantido o direito de terem as bolsas, dentro do que foi acordado na época entre o Consulado da Bolívia em Cáceres e a Universidade de Aquino Bolívia que recebeu cada aluno no programa”, destaca a parlamentar.

Os pais informaram que procuraram a universidade, mas nada foi resolvido, então protocolaram documentos junto a embaixada brasileira na Bolívia e que aguardam uma solução rápida para o problema, vez que seus filhos não podem ser prejudicados, pois cumpriram com todos os requisitos determinados pela universidade para manutenção da bolsa.

A reportagem tentou contato com Emílio Tamayo, Cônsul na época da parceria firmada, mas até o encerramento da mátéria não teve retorno, ficando aqui o espaço aberto para explicações.

Entenda o Caso

O Consulado da Bolívia em Cáceres, representado pelo Cônsul Emílio Tamayo, em parceria com a Universidade de Aquino Bolívia - UDABOL, representada pela Diretora Claudia Camacho, no ano de 2015, firmaram um acordo com programa de bolsas de 50%, 80% e até 100% para estudantes de San Matias.

No ano de 2017 esse acordo foi estendido também para alunos de Cáceres e outros municípios de Mato Grosso.

Naquele ano o acordo previa 4 bolsas de estudo para San Matias e 2 bolsas para Cáceres, mas devido a grande procura foram ofertadas 11 bolsas.

No ano seguinte novas bolsas foram ofertadas, e novos estudantes foram selecionados, inclusive do IFMT.

Na época, a cerimônia de entrega dessas bolsas contou com a presença de várias autoridades do Estado e bolivianas.


Comentários

inserir comentário
1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Professor Aposentado, em 06.08.2022 às 17:40

    Boliviano é igual esquerdistas ou melhor é esquerdistas! Só promete e não cumpre . Caem quem quer nessa promessas populista. Há longo prazo o resultado dessas fanfarrices aparecem....e aí coitado de quem realmente precisa e confiou.

 
Sitevip Internet