Notícias / Mato Grosso

21/10/2021 - 11:35

Servidores de MT estão em Brasília protestando contra a Reforma Administrativa

Por Bruna Obadowski

Assessoria

 (Crédito: Assessoria)
Protestos que unem as três esferas do serviço público de todo o país acontecem há seis semanas desde a aprovação do texto base da PEC 32 pela Comissão Especial; Proposta segue em tramitação sob forte pressão popular e de políticos da oposição

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (Adunemat) e do Sindicato dos Servidores Públicos da Carreira dos Profissionais do Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso (Sintema-MT), estão em Brasília em protesto contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32, da chamada Reforma Administrativa.

É a sexta semana consecutiva de protestos que reúne as três esferas do funcionalismo público de todo o país. Juntos, os servidores pressionaram os parlamentares pela derrubada da Reforma Administrativa, que segue em tramitação na Câmara dos Deputados. 

Após várias manobras do governo federal e a apresentação de sete textos substitutivos por parte do relator deputado Arthur Maia (DEM-BA), a Comissão Especial que analisa a Proposta de Emenda à Constituição aprovou, no dia 23 de setembro, o texto-base do relator. Foram 28 votos favoráveis e 18 contrários ao sétimo parecer da Reforma Administrativa.

A votação, que acontece agora em dois turnos na Câmara,  será aprovada somente se tiver 308 votos ou ⅗ dos deputados em cada turno. Entre os votantes, Mato Grosso conta com sete deputados e uma deputada. Alguns já se posicionaram contrários à PEC 32, como a deputada Rosa Neide (PT), e os deputados Juarez Costa (MDB), Waltenir Pereira (MDB), Dr. Leonardo (SOLIDARIEDADE) e Emanuelzinho (PTB). Seguem declarando apoio à PEC 32 os deputados Nelson Barbudo (PSL), José Medeiros (PODE)e Neri Geller (PP). 

Segundo os movimentos sociais e sindical que seguem em Brasília, as manifestações contra a PEC 32 se devem à ameaça não só à carreira no serviço público, mas principalmente contra o fim dos serviços públicos gratuitos no país. Caso seja aprovada pelos parlamentares a Reforma Administrativa impactará na oferta dos serviços públicos aos cidadãos. 

A previsão é que os atos sigam ocorrendo todas as semanas, enquanto o projeto estiver em tramitação na Câmara Federal.

Nesta quarta-feira (20), uma passeata seguida por ato simbólico reuniu cerca de mil manifestantes nas ruas de Brasília. Na manhã de terlça-feira, (19), servidores ocuparam o saguão do Aeroporto Internacional de Brasília para recepcionar os deputados no retorno das atividades parlamentares. “Os atos seguirão até que consigamos enterrar essa Proposta de Emenda à Constituição 32/2020, da Reforma Administrativa", reforçou o presidente da ADUNEMAT, professor Domingos Sávio da Cunha Garcia.

Os protestos também reforçam aos deputados/as, que aqueles que votarem contra o povo terão a resposta nas urnas, em 2022.  Essa é mais uma participação dos servidores públicos de Mato Grosso que representam a parcela da população contrária à aprovação da Reforma Administrativa.

Comentários

inserir comentário
1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Jane Espinosa, em 22.10.2021 às 14:25

    Fica em casa meu povo! Parem de dar mau exemplo nessas aglomerações...Entendi! Para gritar lularapio livre pode ne.

 
Sitevip Internet