Notícias / Mato Grosso

15/10/2021 - 16:14

Visita do papa João Paulo II a Cuiabá completa 30 anos

Por Justina Fiori

Há 30 anos, em 16 de outubro de 1991, Cuiabá recebia a visita do papa João Paulo II, que passou apenas algumas horas na Capital, mas marcou a memória de muita gente que se aglomerou nas ruas e no local hoje conhecido como “Sesi Papa” para ver o santo padre,. Ele realizou missa no local, apesar dos 41 graus de calor registrados naquele dia.

Apesar de ser transmitida ao vivo, pela televisão, calcula-se que pelo menos 200 mil pessoas foram às ruas para ver a passagem de João Paulo II.

A visita a Cuiabá fez parte do roteiro de visitas do papa ao Brasil e a mais de 100 países durante o seu papado, que durou de 1978 a 2005.

Ele chegou no aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, por volta das 9h e foi recebido pelo então arcebispo de Cuiabá, Dom Bonifácio Piccinini, o governador Jayme Campos, a primeira-dama, Lucimar Campos e de outras autoridades civis e militares. Ao descer, como era de costume, João Paulo II beijou o solo mato-grossense.

A praça em frente ao aeroporto estava lotada de pessoas que queriam ver o santo padre. O mesmo aconteceu com as avenidas da Feb, XV de Novembro, Tenente Coronel Duarte e Rubens de Mendonça, onde as pessoas se aglomeravam com faixas, bandeiras e posters, saudando a visita do papa.

O trajeto até a região da Morada do Ouro, onde a missa foi realizada, foi percorrida no “Papamóvel”.
O sermão abordou temas como ecologia e migração. João Paulo II disse que estava no coração da América do Sul para abençoar e trazer uma palavra de fé e otimismo ao povo.

Durante a missa, Dom Bonifácio Piccinini entregou ao papa vários objetos para serem abençoados e que haviam sido encaminhados pelos fiéis. A participação de lideranças indígenas foi marcada pela entrega de um wairó (cocar) e uma borduna pelo índio Anicento, da etnia Xavante.

Hoje, o local se transformou em espaço para eventos da Igreja Católica, como o Vinde & Vede, retiro de carnaval que reúne milhares de fiéis. A Arquidiocese de Cuiabá tem planos de construir uma igreja no local.
De lá, o santo padre foi até a Universidade Federal de Mato Grosso para um encontro com a juventude. O ginásio de esportes foi lotado por cinco mil jovens.

Esse foi o último compromisso de João Paulo II em Mato Grosso. Do ginásio da UFMT, ele foi direto até o aeroporto Marechal Rondon, de onde partiu para Campo Grande (MS), próxima etapa de sua viagem.

Imprensa

Pelo menos 120 jornalistas do mundo inteiro acompanharam a visita do papa, mas a maior cobertura foi da imprensa local.

Entre os jornalistas que acompanharam a visita estão Ildefonso Rosa sua filha Judite Rosa  e Wanderley Munhoz.. Na época, cobriram pela Rádio Jornal de Cáceres,. Fizeram a transmissão ao vivo de toda a programação. “Foi um trabalho muito especial para mim, além de uma emoção inesquecível”, diz Judite.

Ela lembra ter feito um flash ao vivo direto do aeroporto Marechal Rondon usando um telefone público e reproduzindo as rápidas entrevistas que havia feito usando um pequeno gravador K7. “Outros tempos”.

Ademar Andreola era editor do Jornal O Estado de Mato Grosso, que ficava na avenida da Feb, trajeto do papa João Paulo II. Ele diz que praticamente a redação toda foi escalada para cobrir os eventos principais, desde o aeroporto até o local da missa, onde hoje é o Memorial, encontro com lideranças indígenas e com os jovens. “A gente deu muita prioridade para as imagens. Os quatro fotógrafos trabalharam bastante”, lembra.

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet