Jornal Oeste

Cáceres, Quinta-Feira, 9 de Julho de 2020

Notícias / Politica

19/11/2019 - 09:16

COMPRA DE VOTO EM CÁCERES: TSE marca julgamento que pode trancar inquérito policial contra deputado Carlos Avalone

Por Arthur Santos da Silva

O ministro Tarcisio Veira Neto, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), incluiu em pauta para julgamento no dia 19 de novembro um recurso do deputado estadual Carlos Avalone (PSDB) contra decisão que negou seguimento a pedido com o objetivo de trancar inquérito policial. Investigação averígua falsidade ideológica supostamente ocorrida em 2018.
 
Avalone recorre contra decisão monocrática do próprio ministro. Em decisão singular, Tarcisio Veira explicou que o Tribunal Superior Eleitoral já decidiu pacificando que habeas corpus não é “o instrumento adequado à valoração aprofundado de fatos e provas”.
 
A tentativa de trancamento do inquérito por meio de habeas corpus também foi negada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Mato Grosso. No caso, o deputado teve o nome envolvido em apreensão da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no município de Poconé (100 km de Cuiabá). Segundo informações da PRF, um veículo Gol, de cor prata, foi abordado no quilômetro 560 da BR-070.
 
No interior do veículo, os agentes abordaram três suspeitos, que estavam com R$ 89,9 mil em dinheiro vivo, além de vários santinhos do então candidato a deputado estadual Carlos Avalone.

Os mesmos fatos são examinados em representação que pode resultar em cassação de diploma do parlamentar. Avalone assumiu o mandato em definitivo após o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) tornar-se conselheiro do Tribunal de Contas (TCE).

Comentários

inserir comentário
1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por MOSSUETO, em 19.11.2019 às 15:47

    Já vamos para um ano da descoberta da safadeza, e o cidadão está ai, como se nada tivesse acontecido, infelizmente a nossa justiça é muito lenta, esses casos deveriam afastar os envolvidos e só após o julgamento se fosse o caso.

 
Sitevip Internet