Notícias / Mato Grosso

08/06/2019 - 08:30

Servidores públicos de MT poderão trabalhar meio período e tirar seis meses de licença-prêmio

Por G1 MT

G1MT

 (Crédito: G1MT)
Os servidores públicos de Mato Grosso terão a opção de dobrar o período da licença-prêmio mediante a redução de 50% da carga horária laboral. Na prática, em vez de usufruir os três meses do benefício, ele poderá, por exemplo, trabalhar meio período e tirar seis meses de licença-prêmio a cada cinco anos ininterrupto de efetivo exercício. A medida foi publicada por meio de Decreto no Diário Oficial desta sexta-feira (07).
 
A iniciativa do governo do estado, por meio da Secretaria de Planejamento e Gestão é inédita no Brasil e faz parte da política de modernização e desburocratização do serviço público da atual gestão, e visa maior eficiência da máquina pública, já que o servidor, mesmo que por meio período, continuará exercendo suas atividades.
 
Essa redução da carga horária deverá ser autorizada pela chefia imediata e ser cumprida no horário que for conveniente à administração pública em comum acordo com o servidor.
 
Outro ponto positivo é que a licença-prêmio também poderá ser parcelada em até três períodos de no mínimo 30 dias. Servidores em cargo comissionado e função de confiança não podem usufruir do benefício.
 
O decreto também prevê o reinício da contagem do período aquisitivo para usufruto da licença-prêmio a partir do retorno de qualquer afastamento do servidor que caracterize quebra de vínculo com a administração pública. Entre esses afastamentos estão as licenças de interesse particular, vacância do cargo e exoneração.

Mudanças
 
Em abril deste ano, o Governo do Estado editou um decreto proibindo o acúmulo de períodos aquisitivos e eventuais passivos decorrentes do desligamento do servidor por meio de exonerações ou aposentadorias.
 
O usufruto da licença-prêmio passou a ser obrigatório dentro do período aquisitivo seguinte ao período de direito, não podendo acumular duas licenças-prêmios. Ela deve ser tirada integralmente ou parcelada em até três períodos de no mínimo 30 dias. Em caso de limitação de pessoal, o gestor do órgão de lotação do servidor deve criar mecanismos para definição do usufruto e as datas são agendadas em comum acordo com o funcionário.
 
As regras foram melhoradas para evitar a geração de passivos para o Estado. O decreto publicado nesta sexta flexibiliza ainda mais as possibilidades de usufruto do benefício.

Comentários

inserir comentário
3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Juca Bala, em 10.06.2019 às 09:01

    É só estudar, passar em um Concurso Público que terá os mesmos privilégios. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • por Juquinha, em 09.06.2019 às 16:47

    Vai estudar José Luiz pra vc tentar passar em um concurso rapaz.

  • por José luiz, em 08.06.2019 às 13:55

    Juro, que eu gostaria de. saber quem inventou essas leis, só pra dar um surra de cinta nesse camarada sim, porque ele não tinha mais o que fazer na vida. "Porra", me desculpem o palavriado mas, os servidores tiram férias todo ano, quando tem um feriado na quinta ja enforca a sexta, e parece que os caras são escravos, ai a cada 5 anos trabalhados ainda tem três meses de licença premio. Eles devem ser de outro planeta, só pode ser, porque eles são tratados diferentes de nós pobres mortais que temos regime CLT. E tem mais ainda querem ficar de fora da reforma da famigerada Previdência. Eita Paizinho esse nosso Brasil.....

 
Sitevip Internet