Notícias / Cultura

11/05/2019 - 11:09

Grupo folclórico de Cáceres faz 'vakinha' online para participar em festival na Itália

Por Antoniel Pontes/Jornal Oeste

O Grupo de Projeção Folclórica Igarapé de Cáceres está realizando uma vakinha online para poder custear sua ida a Itália para representar o Brasil no “Italian International Folk Festivals in Summer” a ser realizado na Itália dos dias 05 à 17 de agosto de 2019. O Valor que precisa ser arrecadado é de R$ 32 mil reais.
 

O Instituto IGARAPÉ desenvolve atividades artístico-cultural com o objetivo de enaltecer e preservar da cultura brasileira, promovendo a inclusão de jovens e adultos na sua participação. É composto por estudantes do ensino fundamental, médio e universitário que, através das apresentações artísticas valorizam suas raízes e divulga a cultura folclórica e popular das regiões brasileiras, em especial a cultura mato-grossense.

​Além da Vakinha online, o grupo está fazendo Promoção de Pizza que vai ser realizado no próximo sábado(18) - as pizzas podem ser adquiridas pelo telefone (65) 9 9977 9999 (Pedro Nascimento).

O Grupo levará para a Europa no começo de agosto o seu espetáculo: Brasil sem fronteiras, com danças tradicionais das 5 regiões do Brasil!

Imagem

HISTÓRICO

O Instituto de Projeção Folclórica IGARAPÉ surgiu na Escola Estadual “União e Força”, no ano de 2002. IGARAPÉ: (igara que significa embarcação escavada do tronco de uma só arvore, e pé, que significa caminho) em termo científicos cursos de águas amazônicas de primeira ou segunda ordem, braços estreitos de rios ou canais existentes em grande número na bacia Amazônica caracterizados por pouca profundidade e por correrem quase no interior da mata. Os IGARAPÉS desempenham um importante papel como vias de transporte e comunicação.

Com o espetáculo Brasil Sem Fronteiras, ela se inicia com o quadro de danças mato-grossenses como, Ribeirinhos do Pantanal, Siriri, Rasqueado e Dança do São Gonçalo. Em seguida, vem o Sul do país com a Vaneira traduzida em uma coreografia de abertura para o quadro, Dança do Balaio, Pezinho e Tirana do Lenço como danças tradicionais gaúchas. O Nordeste é representado através de coreografias do Frevo e o Forró. A Dança do Carimbó, dança do Tacacá e o Xote Bragantino valorizam a cultura da região Norte do Brasil. E então, espetáculo é finalizado com uma riquíssima performance dos dançarinos representando a cultura da região Sudeste do Brasil com as danças Samba no Pé, Samba de Gafieira, Dança dos Malandros Cariocas, Carmem Miranda e as Passistas do Carnaval.

Coordenado pelo professor e coreógrafo Pedro Nascimento, o grupo já se apresentou em vários eventos locais, regionais e representou o estado de Mato Grosso em festivais de destaque nacional como o Festival de Folclore de Olímpia/SP em 2013, assim como, nas edições do FIFOLK – Festival Internacional de Folclore, Festival Internacional de Pesca Esportiva de Cáceres – FIPe/2011, 2012, 2014, 2015 e 2016, Vitrine Multiétnico Cultural do Alto Pantanal da América do Sul edições 2011, 2012 e 2014, I FIFOPAN – Festival Internacional de Folclore do Pantanal edição 2016 e também participou em 2017 e 2018 do ENIF – Encontro Nacional e Internacional de Folclore, na cidade de Tucumán na Argentina.

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet