Notícias / Cidade

06/12/2018 - 12:45

Ação sinaliza locais com perigo de afogamento no rio Paraguai em Cáceres

Por Jornal Correio Cacerense

Jornal Correio Cacerense

 (Crédito: Jornal Correio Cacerense)
Dezenas de casos de afogamentos são registrados todos os anos nos rios e córregos de Cáceres, mais especificamente no Rio Paraguai, pela sua profundidade e acesso de pescadores e banhistas. De acordo com levantamento do Corpo de Bombeiros de MT somente no ano passado no Estado, foram registradas 110 mortes em lagos, rios, córregos e piscinas, que poderiam ser evitadas em sua maioria, houvesse prudência dos banhistas.

Nesse contexto, o Ministério Público Estadual de Cáceres, juntamente com  Corpo de Bombeiro Militar, Agência Fluvial,  acadêmicos da Unemat, amigos e pais de Lucas Bueno, acadêmico de medicina vítima de afogamento no mês de setembro na praia do Julião,  lançaram na manhã de ontem o projeto "Salvando Vidas In Memorian de Lucas Bueno".

A psicóloga Patrícia Dias Marques, amiga de Lucas, salientou que o ponta pé inicial do projeto foi dado pelos pais do Lucas e abraçado por acadêmicos, amigos, empresários e órgãos competentes. 

De acordo com o promotor de Justiça Rinaldo Segundo, a primeira ação do projeto visa a instalação de  placas de advertências nas praias mais movimentadas da cidade. Sendo escolhida a priori as praias do Daveron, Carne Seca, Julião, Empa e Sadau, que receberam duas placas cada uma delas.

Os Tenentes Cavalante (Marinha) e Luciano (Bombeiros), integrantes do projeto,  salientaram que 90% de vidas perdidas por afogamento poderiam ter sido preservadas, se os banhistas tomassem os devidos cuidados. Entre eles, destacaram como grande vilão a ingestão de bebidas alcoólicas pelo banhista. As placas foram afixadas nas praias mencionadas e orla do Rio Paraguai, como forma de prevenção conscientizadora aos pescadores, banhistas e frequentadores dos logradouros.
 

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet