Notícias / Economia

19/11/2018 - 08:35

De sonho ao pesadelo: mesmo com obras paradas ZPE terá que pagar R$ 500 mil a ex-diretores

Por Sinezio Alcântara

Jornal Expressão

 (Crédito: Jornal Expressão)
O sonho da implantação da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Mato Grosso, instalada em Cáceres, pode virar pesadelo. Diretores da ZPE pleiteiam receber, perto de R$ 500 mil, pelos “serviços prestados” ao investimento. O débito dos “pró-labores” aos ex-diretores Ilson Sanches, José Carlos Job, Reck Júnior, Amarildo Merotti e do atual presidente da AZPEC, Pedrinho Lacerda, consta no balanço patrimonial da empresa. Entre os cinco, apenas Amarildo Merotti, até agora, renunciou o recebimento.

A descoberta do débito ocorreu após a Receita Federal cobrar a direção da ZPE pelo não recebimento dos encargos (I.R e INSS) relativos aos referidos pró-labores. A cobrança, inclusive, já está em dívida ativa da União e poderá ser cobrada judicialmente, a qualquer momento. De acordo com o Escritório Imcoeste, responsável pelos serviços contábeis, mesmo que haja recursos, oriundos do governo, as obras não poderão ser retomadas, por falta de certidões negativas, tendo em vista que a divida já está na Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

Sem recursos e inconformados, levando em conta que até hoje a ZPE, sequer saiu do papel, os atuais conselheiros administrativos prefeito Francis Maris Cruz, presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT) Jandir Milan e o secretário de Estado de Desenvolvimento (Sedec) Leopoldo Rodrigues de Mendonça, estão notificando o diretor e os ex-diretores para que apresentem um relatório das atividades que foram, por eles, desenvolvidas no período em que exerceram a função.

O pró-labore aos diretores foi incluído ao Estatuto Social da ZPE. Porém, os atuais conselheiros administrativos, argumentam que foi ajustado que os ocupantes de tais funções, renunciariam os valores enquanto não houver a existência de atividades operacionais na área. Dos ex-diretores, até agora, apenas o empresário Amarildo Merotti, que exerceu a função de diretor comercial de maio de 2011 a dezembro de 2015 assinou uma carta renunciando o recebimento do débito pelos serviços.

Procurado pela reportagem o ex-diretor José Carlos Job diz que trabalhou e por isso, pretende receber. Afirmou que não faz questão de receber em dinheiro. Está propondo para que façam a reversão do dinheiro em ações da ZPE.

Presidente da Associação da Zona de Processamento da ZPE (AZPEC), Pedrinho Lacerda, diz que apesar do pró-labore estar contido no estatuto da empresa, nunca nenhum diretor cobrou. E, está disposto a renunciar o recebimento, mas ainda não fez. Ele revelou que o ex-diretor Reck Júnior, também manifestou a intenção de renunciar. Quem ainda não teria se manifestado é o ex-diretor Ilson Sanches.

Histórico

A instalação da ZPE em Cáceres é datada de março de 1990. Ela foi criada pela União, por meio do decreto nº 99.043, com objetivo de atrair investimentos, gerar empregos, agregar valor a produção nacional, aumentar as exportações e promover o desenvolvimento econômico e social do país. Atualmente existem no Brasil 24 Zonas de Processamento de Exportações autorizadas pelo Governo Federal que se encontram em distintas fases pré- operacionais. A ZPE de Cáceres é apontada como a redenção econômica regional.

Paralisada há 28 anos, o projeto foi retomado pelo governador Pedro Taques. A obra foi relançada no mês de maio de 2017. Na oportunidade, o governador prometeu concluir a primeira parte do projeto – orçado em R$ 16 milhões – em 12 meses. Ou seja: no mês de maio de 2018. Atualmente menos de 10% da obra foi concluída. O valor total do projeto é de R$ 60 milhões. A área total é de 239,68 hectares e será dividida em cinco módulos.

Cerca de 30 empresas, a maioria ligada ao setor de processamento de commodities do agro, já manifestaram interesse em ter unidades na ZPE. A estimativa é que as negociações signifiquem mais de R$ 100 milhões em investimentos. O espaço terá capacidade de abrigar 230 indústrias.  Serão construídos na primeira fase o prédio administrativo, um restaurante, o bloco da Receita Federal, um pátio de manobra, além da guarita principal de pedestre, guarita principal de veículos, guarita secundária de veículos e um galpão.

Comentários

inserir comentário
10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Ney, em 20.11.2018 às 17:30

    Políticada não tem é vergonha na cara, perderam tudo do resto que tinham. Cara lavadas, essa política da nojo !

  • por Vasco Junior, em 19.11.2018 às 20:42

    O cacerence eleitor deve abrir bem os olhos antes de votar! Há muitos anos que vejo acontecer de Caceres dar votos pra turminha que lembra da cidade de quatro em quatro anos! Depois de eleito não volta mais! Tem que eleger político da cidade não dar votos pra político de outros lugares! É mesmo os da cidade, investiguem bem antes de eleger!

  • por jaime, em 19.11.2018 às 16:19

    Infelizmente estamos sozinhos nessa luta, nós não temos um DEPUTADO que abrace a causa, até porque nosso deputado que era Estadual se mostrou sem capacidade, pois apenas ficou leiteando o nosso Governador que alias é bem safado. Se quando esse DEPUTADO estava aqui em cuiabá não ajudou, imagina agora la em Brasília que so vai estar no bem bom, mamando deitado. Um orgão que poderia interferir mas que também esta sem moral alguma seria o Observatório Social que foi manchada pelo ex-secretário de Saúde Roger, em fim, adeus ZPE.

  • por manezinho, em 19.11.2018 às 13:22

    O nosso povo é humilde demais tem pessoas que até acreditam em papai noel, mula sem cabeça e saci perere, talvez seja isso que estamos até hoje acreditando nesses mercenários dos politicos que vem aqui na cidade de 4 em anos para contar história para o povo. POVO VAMOS ABRIR BEM NOSSOS OLHOS E ESQUECER DESSES POLITICOS PARA SEMPRE.

  • por MOSSUETO, em 19.11.2018 às 10:04

    Eu era gurizinho e já ouvia o meu bisavô chegar da cidade, (Cáceres) reunir toda a família e recomendar a todos, agora nós podemos produzir muita banana, porque vem um troço para nossa cidade e tudo que produzir, eles vão comprar, temos que produzir e comprar uma boa boiada de bois de canga para levar a nossa produção até o porto, morreu meu biso curtindo esse sonho morreu meu avô, acreditando nessa pseuda promessa morreu o meu pai, aos 88 anos e eu já estou na idade de partir e não vou ver essa bendita ZPE, acredito que a partir de agora, essa Zona toda desapareça, pois os políticos sabiam que fazer promessas de traze-la a baila gerava reeleição, é por isso que o Taques jogou nosso suado dinheiro na área, como o eleitor já está melhor esclarecido, deu a ele, a banana que merece para usa-la como melhor lhe convier.

  • por Souza Silva, em 19.11.2018 às 09:17

    A décadas os comentários na boca de políticos é de investimentos, negociações e estimativas, mas até hj só deu gastos e mais gastos sem qualquer resultado, e pior, todos fazem vistas grossas para estas despesas.

  • por Helena, em 19.11.2018 às 09:14

    Pesadelo meeexxxxxmooo, e coloca pesadelo nisso.

  • por Luiz César, em 19.11.2018 às 09:06

    Essa estória de investimentos é velha hein ?

  • por Elis, em 19.11.2018 às 09:05

    Ainda essas siglas dando problemas?

  • por Jr, em 19.11.2018 às 09:03

    Este é o real objetivo da ZPE. Não caiu a ficha ainda ? Para isso inventaram essa z: Zona P: para, E: Enganar....... E vai continuar ate quando levando dinheiro público, com a palavra MP? Alguém, qualquer um de competência, acabe logo com esse circo, coloquem um fim nesse pesadelo constante que Cáceres vive a décadas. Só está servindo para gerar gastos desnecessários. Alguém de competência e atitude para tal.

 
Sitevip Internet