Notícias / Politica

13/03/2018 - 08:36 | Atualizado em 13/03/2018 - 08:55

Por unanimidade, Câmara veta proposta de Francis de obrigar pequenos comércios a terem banheiros públicos

Por Jornal Oeste

Enviar para um amigo Imprimir

Facebook

 (Crédito: Facebook)
O prefeito de Cáceres, Francis Maris (PSDB) tem cada vez menos apoio na Câmara de Vereadores.

Ontem, 12, por exemplo, ele não conseguiu nem os votos da sua bancada de apoio para manter o veto que ele fez a um artigo na Lei dos banheiros, que obriga todos os estabelecimentos a terem banheiro masculino e feminino com acesso público. 

O projeto do Executivo recebeu uma emenda na CCJ, do vereador José Eduardo Torres (PSC), desobrigando os pequenos estabelecimentos dessa despesa de construir banheiros.

Francis vetou a emenda da CCJ e devolveu o projeto para a Câmara, insistindo que até consultórios médicos, odontológicos e escritórios de advocacia e contabilidade deveriam ter banheiros à disposição de qualquer um que passe pela rua.

Como era de se esperar, os vereadores Cézare Pastorello (PSDB) e José Eduardo Torres (PSC) se posicionaram contra o veto, dizendo que banheiro público é obrigação do município e não pode ser transferida para os pequenos comerciantes.

Na iminência de ter o veto derrubado, o secretário de Governo, Wilson Kishi 'liberou' os vereadores da base para votarem como quiserem.

Em mensagem que circulou no grupo de whatsapp dos secretários da prefeitura, Kishi afirmou que o prefeito liberou os vereadores para votarem conforme suas convicções.

O resultado foi a derrubada do veto por unanimidade, sem resistência dos governistas.

O episódio prova que o prefeito ainda tenta controlar o voto dos vereadores, mas, está perdendo o controle por falta de articulação política.

Comentários

inserir comentário
5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por luis, em 14.03.2018 às 06:55

    Nem a própria prefeitura tem sanitários para o público e nem para portadores de necessidades especiais.

  • por Maria Angela, em 13.03.2018 às 17:14

    TODOS JÁ ESTÃO PENSANDO NA PRÓXIMA ELEIÇÃO...COMO IR CONTRA O ELEITOR?????

  • por são lourenço, em 13.03.2018 às 16:16

    Esse veto mostra quanto esses vereadores que ai estão só tem opinião própria quando o senhor todo poderoso Francis quer...Porque se o debochado não tivesse liberado eles, com certeza eles não teria coragem de ir contra o patrão

  • por Junior, em 13.03.2018 às 13:36

    Já sabem, se uma dor de barriga repentina, se vi estiver próximo a Gal Osoriocom Costa Marques, existe uma ali pela redondeza pronta para receber toda a carga. Lá existe toda uma receptividade para tal função excretora, com papéis higiênico de qualidade, sabonete líquido, papel toalha e ainda duchinha caso necessário.

  • por Dias, em 13.03.2018 às 09:31

    Esse veto não tem nada de articulação política e sim bom senso dos vereadores a essa absurda proposta do executivo.

 
Sitevip Internet