Notícias / Polícia

03/02/2018 - 10:26 | Atualizado em 03/02/2018 - 10:29

Presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais diz que é preciso 480 para cuidar da fronteira com a Bolívia. Em MT só tem 80

Por Bárbara Sá

Enviar para um amigo Imprimir

RDNEWS

 (Crédito: RDNEWS)
A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) montou um grupo de trabalho para mapear todas as fronteiras do Brasil, com objetivo de conter a onda de criminalidade no país. Mato Grosso conta com 700 km de fronteira seca, entre Cáceres, Pontes e Lacerda, Comodoro, Porto Esperidião e Bolívia. O levantamento no Estado está previsto para começar em fevereiro.

O presidente da Fenapef, Luiz Boudens, explica que entre as ocorrências estão contrabando, tráfico de drogas e armas. “Nós estamos percorrendo todas as fronteiras do país fazendo este mapeamento, e por meio de um relatório vamos apresentar para o diretor geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, e o ministro da Justiça, Torquato Jardim. Com estes apontamentos, esperamos conseguir trazer soluções às questões da fragilidade no combate aos crimes fronteiriços."

Boudens frisa que o estudo busca apresentar soluções viáveis e baratas no auxílio ao combate ao crime organizado nas fronteiras. “As grandes facções estão dominando, e precisamos trabalhar uma política nacional buscando combater esses atos criminosos”, aponta.

Atualmente a Polícia Federal conta com apenas uma delegacia nessa região e tem  apenas 80 servidores.   Conforme o presidente,  seriam necessários 480 agentes para cobrirem a fronteira em Mato Grosso.

“Os crimes a serem combatidos são inúmeros, e temos pouco efetivo. E por conta das grandes distâncias a serem cobertas pela polícia, tanto por terra como pela água, as ações das quadrilhas se tornam constantes e não tem investimentos previstos para essa fiscalização”, disse.

Ele destaca que a federação está levando muito a sério esse projeto, pois a Polícia Federal, para conseguir realizar o trabalho tem fechado parcerias com as polÍcias Rodoviária, Civil e Militar. “A falta de efetivo não está somente na fronteira. Isso é em todo estado. Para se ter uma ideia Mato Grosso conta atualmente com 350 policiais federais, em um Estado onde é necessário 2, 1 mil profissionais. E mesmo assim, eles realizam um ótimo trabalho”, frisa.

Além da Superintendência em Cuiabá, há delegacias da PF apenas nos municípios de Sinop, Rondonópolis, Barra do Garças, Cáceres e Lucas do Rio Verde. 

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet