Notícias / Educação

02/09/2017 - 12:21

Vistoria identifica precariedade em escolas públicas de Cáceres e região

Por G1 MT

Enviar para um amigo Imprimir
Uma fiscalização feita por técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) em 43 escolas estaduais e municipais situadas em 10 municípios de Mato Grosso constatou diversas irregularidades. O auditor público externo do TCE, Daniel Poletto, disse que foram identificadas 771 falhas, ou seja, pelo menos 18 problemas em cada.
 
"São problemas nas mais diversas áreas, de estrutura física, elétrica, hidráulica, problemas na merenda escolar", explicou.
 
A vistoria faz parte do projeto piloto "Visita às escolas", que tem o objetivo de auxiliar na correção dos problemas. Foram vistoriadas escolas nos seguintes municípios: Cáceres, Cuiabá, Várzea Grande, Figueirópolis D'Oeste, Jauru, Lambari D'Oeste, Rondonópolis, Salto do Céu, Sinop e Tangará da Serra.
 
Em nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) disse que a secretaria está trabalhando para melhorar a estrutura das unidades e a qualidade do ensino. Disse ainda que novas escolas vão ser inauguradas e outras 70 reformas vão ser feitas até o fim de 2018.
Segundo o relatório do TCE, 95% das escolas vistoriadas apresentaram problemas nos telhados, 79% das unidades não tinham ou estavam com extintores vencidos e 74% tinham fiação elétrica exposta.
Também foram identificadas falhas em equipamentos, como computadores, aparelhos de ar condicionado e ventiladores estragados. O TCE ainda notou muito acúmulo de lixo no entorno das escolas. "Em algumas escolas foram identificadas problemas com animais nocivos, baratas e ratos, por causa do lixo acumulado", explicou o auditor.
 
Com base nesse relatório, as secretarias responsáveis pelas escolas foram notificadas.
 
Das unidades fiscalizadas, 35 são da rede municipal de Cuiabá. O assessor pedagógico da Secretaria Municipal de Educação, Geraldo Grossi Júnior, afirmou que medidas já estão sendo tomadas para resolver os problemas apontados pelo TCE. "Elegemos 96 escolas para fazer um trabalho de intervenção corretiva para garantir uma melhor qualidade do ambiente de trabalho para os professores e de aprendizagem para os alunos", disse. 

Comentários

inserir comentário
2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Pro, em 13.09.2017 às 15:11

    Estou pasma quando li esse comentário sobre as " Escolas da Zona Rural" especificamente sobre o transporte escolar, muito maldoso por sinal, classifica Diretores como sem conhecimento dos direitos de alunos, sendo omissos, sendo manipulados pelo Coordenador do Transporte Escolar - Intitulando-o como " Secretário de Educação". Fica aqui minha indignação, sou diretora das Escolas Rurais há 12 anos, sempre lutamos juntos pelos direitos dos alunos, percorremos trajetos que era quase impossível o trafego transportando alunos. Hoje só tenho uma escola que utiliza o transporte terceirizado a Escola Municipal Roça Velha que continua sendo atendida sem problemas. O senhor Nei sempre foi muito responsável. Não temos porque ser omissos, temos responsabilidades e conhecimentos. Diretor de Zona Rural tem qualificação pra o cargo que exerce.

  • por Pai de aluno, em 03.09.2017 às 12:04

    De acordo com a materia relacionado a educação municipal esta pior só um exemplo real na zona rural quem ditas as regras e normas relacionada ao onibus escolar é motorista escolar com o aval do Nei a Jáo (secretario da educação na zona rural) eles que decidem os alunos que irão pegar, decide até a horas de aulas, isso transporta alubos no dia que quer e ninguem toma providencia, o taldo Nei ameaça professores , os diretores são omissos é só ministerio publico para tomar providencia, por que a prefeitura não fiscaliza...então fica assim ninguem cumpre a lei...

 
Sitevip Internet