Notícias / Direto da Fonte

10/07/2017 - 13:37 | Atualizado em 13/07/2017 - 10:38

Game Over

Por Da Redação

Enviar para um amigo Imprimir
Chegou ao fim a influência política sobre a Unemat, iniciada na gestão Taisir Karim. O escândalo da FAESP expo a Universidade controlada por Taisir e Adriano Silva nos últimos 12 anos e suas maiores mazelas. A bomba estourou no colo da professora Ana Di Renzo. Como tudo na vida, o domínio de Taisir e Adriano, que arreganham a Universidade para ser usada e abusada por políticos do naipe de Pedro Henry, Blairo Maggi, Silva Barbosa, José Riva e Pedro taques, acabou. A Unemat está pronta para ser gerida pela oposição, preocupada em dar uma basta na ingerência política e não em promover um caça às bruxas. Nesse contexto, o próximo reitor não pode ter um discurso raivoso, mas construtivo, focado em priorizar problemas.
 
Fantasmas
 
A Coluna recebeu esta semana uma relação de apoiadores políticos do deputado estadual doutor Leonardo (PSD), que estão na folha ‘legal e ilegal’ do parlamentar na Assembleia Legislativa. Entre os que figuram na lista de quase vinte nomes estão os ex-vereadores Célio Silva e Leomar Mota. Vários da relação, já prevendo que a teta vai secar em outubro do ano que vem, já estão buscando sobrevida. Pelo menos dez deles, estão assediando o Oncologista Eduardo de Lima (sem partido) e o ex-prefeito Túlio Fontes (PSB), que estão despontando para estadual no ano que vem. Essa postura só reforça algo que venho falando há seis anos. Leonardo até tinha futuro político, mas ‘morreu’, ao se aliar a ‘ralé’ da política de Cáceres. Como diz Aloisio de Barros; ‘passarinho que acompanha morcego, amanhece de C. virado para cima’.
 
Coincidência
 
Sabe de quem é a empresa contratada sem licitação por R$ 32 mil para dar 16 horas de curso para a vice-prefeita de Cáceres, Eliene Liberato Dias (PSDB) e doze secretários que não são do quadro de efetivos da prefeitura? Diana Maria Zamar Taques, coincidentemente, prima do governador Pedro Taques do mesmo partido da vice e do prefeito Francis Maris (PSDB). Pode até ser legal, mas é imoral.
 
Sabe
 
Nilson Magalhães provou mais uma vez que sabe fazer política. Fez a esposa Andrelina Magaly da Silva obter 530 votos para a única vaga de Conselheiro Tutelar disputada por 19 candidatos em Cáceres. Ao cumprimentá-lo, tive a oportunidade de revelar uma opinião que tenho a seu respeito há tempos. Ele é bom para eleger os outros, mas não a ele mesmo. E acrescentei que o candidato a vereador da sua casa em 2020 é Magaly.
 
Ferro
 
Mesmo obrigando a filha de Enézio Mariano, da sua cota na Câmara de Vereadores, a desistir da disputa, o vereador Denis Maciel (PT do B), não conseguiu emplacar sua candidata como Conselheira Tutelar. Any Márcia Malheiros Silva teve apenas 150 votos, dois a menos que Maria Sebastiana Ribeiro, candidata do vereador Elias Pereira (PT do PB).
 
Menos Mal
 
Os vereadores Alvacir Alencar (PP), Zé Eduardo Torres (PSC), Claudio Henrique (PSDB), Jerônimo Gonçalves (PSB) e Rosinei Neves (PV), apoiaram a segunda colocada Giuliana Barbosa Maia, filha de Sid Maia, que obteve 250 votos. A disputa teve uma maciça participação feminina que desponta para o cenário político local como a pastora da Igreja A Voz da Verdade, Edilene Martins de Souza, que obteve 133 votos na sua primeira disputa eleitoral.
 
Entendi
 
Fiquei curioso com o esperneio de alguns vereadores com uma ação de despejo de uma invasão de uma área pública ao lado do Jardim Panorama, próximo ao residencial Vila Real, em Cáceres. Ao averiguar, pois não é que descobri que dois defensores do ‘grilo’, os vereadores Elias Pereira (PT do B) e Jerônimo Gonçalves (PSB), tem interesses pessoais diretos. Elias porque vendeu dois imóveis no local e está sendo ameado pelos atuais proprietários e Jerônimo porque um dos seus irmãos é um dos fundadores do ‘grilo’.
 
Alerta
 
Por falar em Jerônimo e Elias, com apoio da chamada ala ‘pobre’ da Câmara, o prefeito Francis Maris (PSDB) deve conseguir a aprovação do projeto de Lei que promove mudanças de nomes de secretarias e cargos. O problema é que dá forma que está tramitando, uma eventual aprovação pode ser anulada pela Justiça. Os motivos já estão postos. Infração do Regimento no diz respeito ao trâmite da matéria e vício de origem, porque propõe mudanças na atribuição dos procuradores municipais que é Constitucional. Na questão dos procuradores, procurei saber porque esta obsessão do Executivo em mexer no setor e descobri que por traz disso pode estar o interesse da atual gestão em terceirizar serviços jurídicos que hoje são de competência exclusiva dos procuradores. Para os servidores públicos, odiados pela atual administração, a lei traz mais um retrocesso. Cerca de 100 cargos de Funções Gratificadas que eram ocupados exclusivamente por efetivos, com a lei poderão passar a ser ocupados por interinos.
 
Pêlegos
 
Mas, os atuais gestores também têm seus preferidos entre os efetivos. Para legalizar a vida de alguns Pêlegos da Educação, a prefeitura de Cáceres editou na semana passada um decreto para beneficiar quem possui duas cadeiras de professor no município e que vinha trabalhando a favor da gestão de forma irregular. A medida beneficia diretamente uma caçadora de bruxas que atua no gabinete.
 
Decepção
 
Hoje está completando um ano e um mês que a Assembleia Legislativa não paga mídias veiculadas no Jornal Oeste e em vários veículos de comunicação da região. Nesta data, não lamento o calote quase certo da dupla Maluf e Botelho, que se depender de mim nunca mais será eleita, fico triste por ver o desprestigio dos deputados Wancley Gonçalves (PV), Adriano Silva (PSB) e Leonardo (PSD), que se mostram incapazes de resolver a pendencia com mais de vinte veículos de comunicação da sua base eleitoral. 

Comentários

inserir comentário
1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Joed Luiz, em 12.07.2017 às 20:14

    A pior desgraça de uma nação pobre é que em vez de produzir riquezas, produz ricos. Quanto aos aristocratas, que tem dinheiro, mas não compra alegria. Há de viver eternamente sendo escravo de gente que cultiva hipocrisia. “Uma utopia realizável é algo que sabemos ser possível fazer, sonhamos que se concretize, temos os meios, mas nos falta força de vontade suficiente para levá-la avante”.

 
Sitevip Internet