Notícias / Economia

06/05/2017 - 07:38

Energisa encontra 38 'gatos' em Mirassol

Por Assessoria

Enviar para um amigo Imprimir

Assessoria

 (Crédito: Assessoria)
A Energisa Mato Grosso realizou ação de impacto contra furtos de energia elétrica em seis cidades do Estado: Mirassol D’Oeste, Tangará da Serra, Rondonópolis, Sinop, Cuiabá e Barra do Garças na semana que passou. Mais de cinquenta equipes fizeram vistorias em medidores de consumo para verificar se havia irregularidades. No total, 3.519 fiscalizações foram feitas, com índice de acerto de 15,8%, ou seja, 555 irregularidades encontradas. A operação teve duração de quatro dias e terminou ontem (05).
 
Dados apurados pela Energisa mostram que no ano passado a energia perdida por causa de ligações irregulares em Mato Grosso dariam para alimentar uma cidade no porte de Rondonópolis por um mês. Por conta dessa energia que não foi medida, o Governo do Estado sofreu impactos, deixando de arrecadar algo próximo a R$ 40 milhões de ICMS.
 
“É importante lembrar que o furto de energia é crime e muito perigoso para comunidade, pois as ligações são feitas sem técnica e sem seguir normas. Ambientes que apresentam irregulares são inseguros e tem mais chances de acidentes. Além disso, os números do ano passado mostram o impacto social que essa prática tem para a sociedade, como por exemplo, o ICMS. Foram R$ 40 milhões que poderiam ter sido investidos em Saúde e Educação. Isso sem contar na qualidade da energia. As ligações clandestinas em circuitos podem sobrecarregar a rede e resultar em oscilações e até mesmo em interrupções do fornecimento de energia”, explica Felipe Costa da Silva, gerente de Combate a Perdas da Energisa Mato Grosso.
 
Para combater os furtos de energia, a empresa está intensificando o trabalho de fiscalizações rotineiras e as ações de impacto, com a contratação de mais equipes e aumento do número de medidores fiscalizados. Desde de janeiro até abril, mais de 60 mil inspeções foram feitas, com índice de acerto de 20%.
 
André Santin, coordenador de Fiscalização Contra Perdas da Energisa Mato Grosso, conta que a empresa agora possui 180 equipes distribuídas em todo o Estado para fazer esse trabalho. Ele explica que atualmente não há um perfil específico de cliente que faz irregularidade de energia.
 
“Encontramos desvios em padrões de clientes que vão desde casa populares, bairros nobres, comércios até indústrias. Por isso, contamos na empresa com um serviço de inteligência, que mapeia os locais com suspeita de irregularidade e nos passa essas informações”, diz André.
 
O furto de energia é crime previsto no Código Penal Brasileiro, no artigo 155, com pena de reclusão de até oito anos. Na esfera administrava, a Energisa calcula e cobra a energia que deveria ter sido cobrada no período em que a ligação irregular perdurou. Essa avaliação é feita com base no histórico de consumo do cliente. Todas as etapas deste processo, desde a fiscalização à cobrança, são feitas conforme prevê a Regulação Normativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nº 414/2010.
 
Felipe lembra ainda que a população é quem mais sofre com esses desvios. As outras pessoas pagam por essa irregularidade, pois sobrecarrega o valor da tarifa para todos os consumidores regulares por conta dessa energia desviada. Por isso, é fundamental a colaboração da população para este trabalho, denunciando ligações irregulares pelo 0800 646 4196. “Se souber de alguma irregularidade, denuncie. A sua denúncia pode ajudar a melhorar a qualidade da energia que chega na sua casa, além de deixar seu bairro mais seguro. O desvio de energia traz riscos para quem mora na casa e para quem passa por perto”. 

Comentários

inserir comentário
2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Kelly, em 07.05.2017 às 09:53

    Quem rouba quem será ?

  • por Junior, em 06.05.2017 às 15:05

    Se as redes de energia cobrassem um valor justo e o governo assim colaborasse com certeza isso não existiria ! O valor da energia que pago mensal é maior que o consumo de alimento da minha família ! Acho que é hora de tomarem vergonha na cara a energisa também !

 
Sitevip Internet