Notícias / Cidade

04/05/2017 - 07:12

Proprietários de imóveis na área tombada de Cáceres reclamam do IPHAN

Por Zakinews

Enviar para um amigo Imprimir

Zakinews

 (Crédito: Zakinews)
Na noite de ontem da última terça-feira (2), aconteceu o III Encontro do Patrimônio Cultural de Cáceres/MT, com o intuito de apresentar as diretrizes gerais que irão compor a futura normativa do Conjunto Arquitetônico, Urbanístico e Paisagístico da cidade - tombado em nível federal pelo Iphan em 2010.

O evento, realizado no Centro Cultural, foi coordenado pela arquiteta, Verônica Pereira Orlandi; a chefe do departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFMT, Luciana Pelaes Mascaro e também o professor da UNEMAT, Aparecido de Assis.

Na reunião, esteve presente também parte da população cacerense, entre ela, arquitetos, engenheiros, advogados e universitários.

   Para levar ao conhecimento do público, foi mostrado o polígono da área de tombamento e de entorno do centro histórico de Cáceres, no qual vem sendo motivo de grandes discussões sobre as regras de reforma e construção civil.

O foco do evento era para apresentar uma minuta sobre a ideia de harmonização das edificações históricas, como uso de cores, identidade visual, padronização das placas de identificação dos comércios e tamanho dos toldos, com a intenção de evitar a poluição visual, valorizar e preservar a herança histórica da cidade.

   Inevitavelmente, o público acabou abordando a questão dos prédios que estão em ruínas e os problemas judiciais com relação aos herdeiros, que acabam não entrando em consenso para dar um destino aos bens da família, que acabam se depredando e trazendo riscos.

Além disso, reclamaram da dificuldade que alguns profissionais têm de entrar em contato com o próprio Iphan, para tirar suas dúvidas.
 
   
 

Comentários

inserir comentário
2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por cacerenza, em 04.05.2017 às 12:35

    quando os predio em ruina desabar na cabeça de alguem, as vezes eles resolve o poblemas, sou a favor dos casarao estoricos aqueles que estao em condiçoes de reforma. nao aqueles condenados tem que liberar para o dono fazer alguma coisa

  • por Paulo, em 04.05.2017 às 10:16

    Na verdade o IPHAN está mais para fachada assim como seu objetivo de restauração, sabemos que existe ... no papel....

 
Sitevip Internet