Notícias / Educação

24/08/2015 - 12:31

IFMT realiza primeiro depósito de propriedade intelectual com produto desenvolvido no Campus Cáceres

Por Edna Pedro/Assessoria

Assessoria

 (Crédito: Assessoria)
Pesquisa coordenada pelo doutor em Entomologia do Instituto Federal de Mato Grosso, Campus Cáceres, professor Alexandre dos Santos resultou no desenvolvimento de um produto que possibilita a identificação em tempo real de pragas florestais por meio de sistema especializado instalado em celulares e tablets com sistema Android. O produto de inovação tecnológica denominado Entoteca é o primeiro depósito de propriedade intelectual do IFMT no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).
 
 “Este produto será entregue gratuitamente para extensionistas e agricultores florestais de teca. O sistema possibilitará a identificação dos insetos que atacam a plantação, para tomada de decisão de controle mais rápida e eficiente, sem a necessidade do extenso e demorado trabalho de campo”, afirma Alexandre.
 
O sistema  deverá ser usado também como material didático para instituições de educação técnica e ensino superior nas aulas práticas de entomologia e atividades de campo para estudantes florestais.  O sistema será disponibilizado para download gratuito na loja de aplicativos para Android, Google Play. 
 
“É inovação tecnológica desenvolvida aqui para ser aplicada no mundo do trabalho,  gerando resposta direta para a sociedade. Estamos felizes por contribuir com o alcance desta que é a missão do IFMT”, comemorou o pesquisador.
 
Segundo a coordenadora do Núcleo de Inovação Tecnológica, NIT, do IFMT, Valquíria Martinho o primeiro depósito de pedido de propriedade intelectual da instituição é um marco histórico para a pesquisa e inovação e fortalece o trabalho do NIT com a perspectiva de proteção das inovações desenvolvidas pela instituição, coibindo reprodução, venda e importação de produtos idênticos.
 
“Um marco para a história do Instituto como indicador do primeiro depósito vigente. Espero que outros pesquisadores percebam esta possibilidade de proteção do ativo intangível e que procurem o NIT para proteger seus produtos e processos oriundos das pesquisas”, afirma Valquíria.
 
A coordenadora destaca ainda o efeito das iniciativas de Proteção da Propriedade Intelectual para pesquisadores e instituições. “Essa proteção enriquece o currículo lattes dos pesquisadores e colocam a instituição em destaque no cenário nacional, tendo em vista que os indicadores atuais de inovação são dados em função dos números de depósitos de pedidos no INPI”, avalia a coordenadora. 
 
Iniciação Científica
 
Integra a equipe do professor Alexandre dos Santos, o acadêmico de Engenharia Florestal do IFMT, Diego Arcanjo do Nascimento e de Sistema da Informação da Faculdade do Pantanal, Ronivaldo Junior. Para os estudantes, o trabalho gerou oportunidades de iniciação científica e o despertar para o universo da inovação tecnológica como ferramenta para contribuir na solução de problemas da sociedade.

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet