Notícias / Saúde

25/08/2009 - 00:00

Cáceres não tem estrutura para tratar a gripe suína

Por Jornal Oeste

Assessoria/PMC “Se houver um único caso de gripe suína em Cáceres, não temos como tratar adequadamente o paciente”. A declaração foi feita pelo médico Nivaldo Cortela, diretor das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) dos hospitais São Luiz e Regional, durante encontro com o prefeito Túlio Fontes, o secretário de Saúde, Luiz Landim e o diretor executivo do Hospital São Luiz, Idelvan Ferreira Macedo. Cortela afirma que em Cáceres há apenas 16 leitos de UTI, 10 no São Luiz e 6 no Regional, que além de estarem lotadas todos os dias, não possuem isolamento, indispensável para evitar a propagação do vírus AH1N1. “Se ocorrer um surto da doença teremos um caos em Cáceres”, previu lembrando que a situação não é diferente em Cuiabá onde as UTIs também estão lotadas, inclusive nos hospitais particulares. Mas, o médico diz que com o avanço da doença nos últimos dias em todo o País, as unidades de saúde do município tiveram que improvisar alguns leitos e preparar técnicos e médicos para tratar possíveis casos. “Estamos lidando com um inimigo desconhecido que mata rapidamente. Ele está por perto e a qualquer momento pode chegar a nossa cidade e quando isso acontecer precisamos estar preparados”, ponderou. As declarações do médico aumentaram ainda mais o temor da prefeitura municipal em relação à realização do Festival Internacional de Pesca marcado para ocorrer entre os dias 19 a 27 de setembro. Sobre a realização do evento que reúne milhares de pessoas, muitas das quais turistas de outros Estados e até do exterior, o prefeito ouviu do medico que o mais sensato seria transferir o Festival para uma data futura. “Conversei com colegas e técnicos do São Luiz e do Regional e a maioria acha prudente não fazer o evento neste momento porque ele poderia precipitar o surgimento da doença por conta da grande aglomeração e a presença de pessoas de outras regiões”, revelou o medico. A opinião do diretor das UTIs é a mesma o diretor executivo do Hospital São Luiz, o maior da região Sudoeste. Para Idelvan Macedo, a estrutura do sistema de saúde de Cáceres não permite que se corra esse risco. “Não minha opinião o sensato é prorrogar o evento”, enfatizou. E o diretor do Hospital São Luiz te razão para se preocupar. Nesta terça-feira, 25, a Vigilância Sanitária do município foi informada que uma criança de seis meses morreu depois de passar pelo Pronto Atendimento Médico (PAM) e duas foram internadas na Clinica Socorrito com sintomas da gripe suína. O detalhe curioso é que a criança que foi a óbito veio da Corixa e as outras duas de Santa Cruz de La Sierra onde há um grande número de cacerenses estudando. “Infelizmente é impossível a Anvisa Federal monitorar a entrada de pessoas vindas da Bolívia e isso agrava a situação”, explicou a coordenadora da VS, Arlene Alcântara. Com os três casos, segundo Arlene Alcântara já são treze os registros de suspeita de gripe suína. Destes, oito foram descartados e cinco estão sob investigação, inclusive os que levaram a morte uma menina de 7 anos. As condições da rede saúde do município, o aparecimento de casos suspeitos e o fato da cidade ser pólo de saúde da região, levou o prefeito Túlio Fontes a convocar as autoridades de saúde, a sociedade organizada, o Ministério Publico e a Justiça para uma reunião nesta quarta–feira, 26, a partir das 9h no Fórum da Comarca para discutir a realização do Festival de Pesca. Para se ter uma idéia da gravidade da situação, integrantes do Comitê Estadual de Prevenção a Gripe Suína já confirmaram presença na reunião que também contará com a coordenadora estadual da Anvisa, Edineuza Belarmino. “Temos recursos suficientes para fazer um grande evento, mas quero o aval das autoridades da saúde, dos governos Federal e Estadual e dos hospitais do município. Se eles garantirem que não há riscos para a população, vamos realizar o FIP”, adiantou o prefeito. Há seis meses a Secretaria de Meio Ambiente e Turismo (Sematur), trabalha na realização do 30 Festival Internacional de Pesca. Para marcar as três décadas do maior evento do calendário turístico de Mato Grosso, diversas inovações e resgate de ações de sucesso estão sendo preparadas. A folheteria, que inclui convites, cartazes e a divulgação do evento já está pronta, aguardando apenas o inicio da veiculação. Além disso, o kit contendo camiseta e bonés também já está pronto para ser confeccionado. Segundo o secretário de Meio Ambiente e Turismo, Claudionor Duarte, tudo está rigorosamente dentro do cronograma previsto, semelhante ao executado no ano passado. “Posso afirmar que estamos ainda mais adiantados”, comentou lembrando que os patrocínios para o custeio do evento já estão garantidos. “Esse foi um trabalho que o prefeito fez questão de executar pessoalmente, por entender a importância do evento para econômica da nossa cidade”, acrescentou. De acordo com o Duarte Correia, a redução da área do FIP, por conta da construção do Parque Sangradouro obrigou a organização a usar a criatividade para que a Festa não perca em tamanho e qualidade. “Estamos locando uma área para o Parque de Diversões e adequando e os estandes e barracas da Praça de Eventos para mantermos a grandeza do FIP” explicou o secretário. Com relação a Praça Barão do Rio Branco, Duarte Correia diz que a área destinada ao Corredor de Artesanato será aumentada e a Praça ficará mais “limpa” para o transito dos visitantes. Além disso, a Praça terá um grande estande que abrigará as atividades ambientais, uma inovação do FIP deste ano. “Fizemos varias mudanças que tem como objetivo adequar a Praça para que ela seja um espaço de circulação”, acrescentou. Com relação à programação artística, esportiva e cultural, o secretário informou que ela está pronta. ”Já temos todas as programações, premiações, inclusive das competições de pesca e uma lista de shows, entre os quais os nacionais que estão aguardando apenas a assinatura dos contratos”, revelou.
 
Sitevip Internet