Artigos / Odair José

04/03/2015 - 17:21

Ignorância e infidelidade às Escrituras

Nos dias atuais é patente aos nossos olhos e ouvidos a ignorância e infidelidade às Escrituras. Há um amontoado de “mensageiros” e “pregadores” expondo interpretações e subjetividades teológicas passíveis de desconstrução. Na verdade, muitos desconhecem a Palavra de Deus que nos orienta a sermos cautelosos com o que vamos falar. Muitos se dizem mestres e não tem a capacidade ou o cuidado de analisar as Escrituras na sua essência e profundidade que a mesma necessita. Fazem interpretações de acordo com seus próprios interesses e, dessa forma, acabam distorcendo os ensinamentos bíblicos. Consequentemente induzindo as pessoas ao erro.

A Bíblia nos alerta em Eclesiastes 5. 1-3. “Guarda o teu pé, quando entrares na Casa de Deus; e inclina-te mais a ouvir do que a oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal. Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; pelo que sejam poucas as tuas palavras. Porque da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo, da multidão das palavras”. (Grifos meus).

Devemos estar sempre prontos a ouvir o que Deus tem para nos dizer, mas devemos tomar cuidado para não impormos a Deus aquilo que pensamos e queremos. A vontade de Deus deve prevalecer nas nossas vidas.
E ainda em Tiago 3.1,2. “Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo. Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal varão é perfeito e poderoso para também refrear todo o corpo”.

A arte de ensinar sempre foi muito importante, desde a antiguidade, mas devemos tomar muito cuidado com o que ensinamos porque, com certeza influenciamos muitas pessoas. Se essa influência for distorções da Palavra de Deus como vemos muito nos dias atuais, com certeza Deus irá cobrar de nós tudo isso. Por isso, a recomendação de Tiago é categórica: não queira ser mestre se não for para ensinar as coisas corretas da Palavra de Deus.

Há uma séria advertência àqueles que fazem a obra de Deus de forma relaxada. A pessoa para falar a Palavra de Deus tem que, no mínimo, ter estudado e meditado nesta palavra. Alguns até dizem que “na hora o Espírito Santo faz lembrar”. Lembrar o que? O que estudou. Alguns acham que podem dar uma explicação lógica apenas abrindo a Bíblia e lendo o primeiro versículo que encontra. Na verdade, isso não passa de pouco caso com a Palavra de Deus. Os grandes mestres passaram suas vidas meditando e buscando o auxílio do Senhor para que pudessem transmitir ao povo a mensagem de Deus.

Apesar da minha revolta com os ignorantes em relação às Escrituras, eles ainda são perdoáveis. Mas, os que agem de má fé para distorcer a palavra e convencer as pessoas de falsas doutrinas são imperdoáveis. Àqueles que usam de infidelidade com a Palavra de Deus para lucrar com isso terão um castigo cruel porque utilizam artifícios diabólicos para desvirtuar as almas do objetivo final que é a salvação em Cristo Jesus. E, nos últimos dias, temos visto um grande número desses falsos ensinadores. Haverá, sem dúvidas, uma cobrança muito grande sobre eles. As pessoas mais simples são as mais prejudicadas com isso tudo. São levados a acreditar em fantasias e crendices que não existem na Bíblia. Eles usam a mídia de forma maçante e induz os incautos aos falsos ensinos levando-os a trilhar e acreditar em coisas que não tem respaldo bíblico.

Criam-se jargões e ideologias, supostamente bíblicas, e tentam enganar as pessoas para que elas acreditem naquilo que eles falam. Há uma mercantilização das almas. Vendas de indulgências a todo o momento como se a salvação dependesse disso. Deus transformou-se, nas palavras desses falsos ensinadores, em um empregado que tem que atender a demanda de todos eles. Faça-se a vontade desses charlatões espalhados em todos os lugares. Deus é um fantoche nas ideologias dessas pessoas. Eles são os milagreiros de plantão e Deus é “obrigado” a atendê-los quando e na hora que eles querem.

Não vejo isso no Ministério de Jesus e dos discípulos. Não encontro respaldo na Bíblia para essas inovações e contínuo acreditando nas Santas Escrituras. A salvação é pela fé. A graça de Deus se manifestou e trouxe salvação a todo aquele que crer. É dom de Deus. Não vem das obras para que ninguém se glorie disso.
Aos ignorantes creio que Deus pode levá-los ao conhecimento, mas aos infiéis à sua Palavra há de ter um acerto de contas. Deus há de cobrar pelos falsos ensinos e distorções bíblicas que levam muitos enveredar por caminhos tortuosos.

Bertrand Russel, lógico e matemático inglês, afirmou certa vez que “muitos homens comentem o erro de substituir o conhecimento pela afirmação de que é verdade aquilo que desejam”. Sem o devido conhecimento da Palavra de Deus os homens cometem erros grosseiros e levam outros para caminhos de incredulidade. Devemos tomar muito cuidado com isso. Há um provérbio indiano que diz “quando falares, cuida para que tuas palavras sejam melhores que o silêncio”. Que Deus em Cristo nos dê sabedoria para compreendermos a sua Palavra.
Odair José

por Odair José

Poeta e Escritor Cacerense, professor de História, especialista em Gestão Ambiental e Técnico Administrativo daUnemat.
+ artigos

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet