Artigos / Wilson Fuá

15/09/2020 - 16:20

Chegou a hora de politicar

                              As fábricas de  grandes líderes fecharam as suas portas e hoje vemos políticos correndo atrás dos seus negócios ou dos interesses dos seus grupos econômicos, compostos de empresários que investiram em seus representantes;  ou investiram no seu próprio desejo de ser um político.

                 Nesse mundo político desvairado pelo poder pessoal, faz com encontremos alguns líderes de si mesmo e dos seus interesses,  e estes, são facilmente encontrados habitando nas Câmaras;  nas Assembleias e no Congresso Nacional, e entre eles, vemos grupos de políticos lutando para triplicar  a vergonhosa “verba Indenizatória”, e por outro lado, vemos milhares de trabalhadores, vivendo no limite dos seus minguados salários, que terminam antes mesmo do mês acabar.

              Vemos alguns políticos, com seus planos de saúde mega/super, seguindo para os grandes hospitais do país, enquanto o povo fica na fila da saúde pública,  urrando de dores na porta da humilhação e das filas reguladoras, aguardando uma vaga para não morrer afogado no seco, por falta de aparelhos respiratórios e medicamentos das UTIs. Se os políticos tivessem o mesmo tratamento que os trabalhadores recebem deste país, não haveria essa irresponsabilidade com a saúde pública, quantos amigos e colegas nossos morreram por falta de atendimento.  

                        Os trabalhadores continuam sendo humilhados com o transporte público de péssima qualidade, com ônibus superlotados e quebrando pelo caminho, com equipamentos internos quebrados e que rasga as roupas, e quantos tem necessidade desse meio de transporte público e tendo ainda que esperar nos pontos de ônibus, que não protegem o “usuário” nem do sol e nem da chuva, e enquanto isso,  vemos  políticos querendo saber se o povo quer BRT ou VLT. O certo seria dar um choque de realidade nesses políticos e convidar as Vossas Excelências para ir para a Assembleia, transportados  por ônibus durante 30 dias, só aí talvez o político insensível,  entenderia o que seria melhor para o trabalhador,  que paga uma passagem caríssima em comparação ao conforto que não recebe em seu deslocamento ao trabalho.      

                 Hoje as pessoas perderam a capacidade de indignar-se, passam  indiferentes as coisas mais chocantes e escandalosas, hoje corrupção e desvio conduta viraram “coisa mal feita”, mudaram a tipificação do crime para ser aceito ou não provocar choque na sociedade. Mas, a vida é uma eterna prova de escolha dos políticos que nos irão representar. Agora chegou a hora de politicar, e são os eleitores que vão aplicar as provas e os testes nos políticos, são testes sobre os valores morais e éticos. 

             Ser verdadeiramente político, é liderar  ações e saber que ao final, com a sua liderança,  elas foram  vencedora e que o resultado da sua luta, trará expectativa de vida com qualidade os seus eleitores,  e que o resultado trará  luz para as pessoas.     A satisfação do politico verdadeiro, é  sentir a alegria de uma vitória, ou uma causa que estava quase perdida  e que agora trará o bem estar a milhares ou milhões de pessoas, ser político é acima de tudo, ter certeza que através de suas ações  trarão a  proteção para as  pessoas fracas e que não têm com quem contar, ou que através do seu voto ao constituir uma nova lei,  esta que sempre fez parte das lutas do povo, e que ao ser promulgadas, reverterá as injustiças que prejudicou grande camada da população.

           O verdadeiro político é aquele que recebeu o dom divino, e que tem o sentido comunitário, e que está sempre em busca da satisfação popular e do prezar do bem servir.  O político na sua essência é um servidor público, pois recebe salário advindo das receitas dos impostos, e tem que saber que seu poder é transitório, e que  emana do povo e para o povo, mas muitos políticos não entendem assim, acham que são donos dos seus mandatos, e trocam de partidos e não respeitam a origem dos seus votos, fazem acordos e conchavos sem consultar ninguém. 

                    A voz que clama contra o que está errado, é sempre ouvida por Deus, se os nossos companheiros de vida, passageiros deste tempo, não tem força para reclamar, protestar ou lutar, por isso, elege um politico para representá-lo, mas muitas vezes são esquecidos após as eleições.         

                     O político na sua essência é um líder natural, a sua responsabilidade existencial é muito grande, e por receber esse dom divino, o líder político nunca poderá transgredir a verdade, a honestidade e sentido comunitário, pois terá que prestar contas a Deus.    
Wilson Fuá

por Wilson Fuá

É Especialista em Recursos Humanos e Relações Políticas e Sociais
wilsonfua@gmail.com
+ artigos

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet