Artigos / Mônica Vignardi

06/01/2015 - 20:50

Cachorro também sofre com a separação

Hoje a forma de criar um animal mudou tanto quanto a forma de viver do ser humano. Cada vez mais nos deparamos com pessoas buscando nos animais “uma tábua de salvação”, para as perdas, as decepções, a solidão, enfim para resolverem seus problemas de carência afetiva, fazendo na maioria das vezes inconscientemente. Dormem juntos, comem juntos, muitas vezes compartilhando da mesma alimentação, proporcionando uma relação de dependência mútua.

Os cães também sofrem com a separação (ansiedade de separação), pois como você se apega muito a ele, ele se apega a você e não quer ficar longe de jeito nenhum. Quando você deixa-lo sozinho, ele vai lhe causar uma série de problemas do tipo; roer móveis, defecar e urinar em locais indevidos, latir, chorar e ganir, arrancar plantas, cavar jardins, morder a si próprio ate criar lesões e etc. 

Trata-se de uma série de comportamentos manifestados pelos cães quando deixados a sós. O pior é que quando o proprietário não percebe a causa do problema em si, e ao chegar a casa se depara com um sofá totalmente destruído, interpreta esse tipo de comportamento como pirraça ou vingança e apela para um corretivo violento ou uma punição feita de maneira inapropriada, e isso colabora para o aumento da frequência do comportamento indesejado.  

Não existe raça específica para o desenvolvimento da síndrome, mas os cães que desenvolvem são muito agitados, seguem o dono por todos os lugares, pulam em cima do mesmo o tempo todo, sentem e sabem quando seu dono esta para sair e neste momento choramingam, solicitam atenção e seguem insistentemente o proprietário.  

O tratamento para esse tipo de problema requer muita paciência e persistência. Além da terapia diária, é aconselhável em alguns casos, que um médico veterinário avalie um grau de intensidade do problema e entre com um tratamento homeopático, se o caso for muito grave é aconselhável entrar com um anti depressivo. 

Por isso, a melhor coisa a fazer, é criar o seu cãozinho de forma ser o mais independente possível. Lembre-se que um cão super dependente não é um cão contente e nem há uma relação saudável com o dono. Passe a trabalhar sua mente para ajudar seu melhor amigo ser mais feliz.    
Mônica Vignardi

por Mônica Vignardi

Adestradora e Consultora Comportamental
+ artigos

Comentários

inserir comentário
1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por Will Cardoso, em 16.02.2015 às 12:03

    Arrazou no Artigo Monica! Parabéns!

 
Sitevip Internet