Artigos / Odair José

17/02/2019 - 09:45

Quíron, Nesso, Estevão e a Mulher pecadora: sofrimento, vida e morte

Em breves palavras quero trazer a tona algumas indagações que perturbam minha mente. Compartilho com meus leitores a angústia de querer alcançar respostas para perguntas que parecem não existirem.

A mitologia grega é envolta de deuses, heróis e diversos personagens. Uso-me dos centauros (metade homem, metade cavalo) para buscar uma resposta. Quíron é um centauro bom. A ele é atribuído a educação dos principais heróis gregos como Aquiles, Ulisses e outros. Nesso é um centauro mau. A ele era incumbido à travessia do rio Eveno. Cada um dos centauros tem a sua história que deverá ser buscada pelos leitores. O que nos interessa aqui é a ligação entre ambos. Os dois são mortos pelo mesmo herói da mitologia grega, isto é, Hércules.

Nesso, responsável por atravessar Hércules e sua esposa Djanira pelo rio Eveno, estupra a jovem esposa do herói grego e é atingido pela flecha envenenada de Hércules. Nesso, na esperança de não morrer, presenteia a mulher que violentou com sua túnica banhada de sangue e esperma. No entanto, morre em agonia pelo mal que praticou na sua animalidade.

Quíron, mesmo sem querer, acaba sendo envolvido em uma briga dos centauros contra Hércules quando este estava realizando um de seus trabalhos. Na batalha, Quíron é atingido por uma flecha de Hércules, que envenenada com sangue de hidra, atinge a perna do centauro provocando uma ferida mortal. Acontece que Quíron é imortal, mas, devido à dor imensa que sente, faz um acordo com Prometeu e troca sua imortalidade para que possa se livrar desse sofrimento.

Essa história da mitologia grega me fez buscar dois personagens da Bíblia. Estevão, o jovem diácono de Jerusalém e a mulher pecadora diante de Jesus, também, nas ruas de Jerusalém. A mulher, pega em ato de adultério, foi levada até Jesus para ser apedrejada, já que essa era a lei para as pessoas apanhadas no ato de adultério. A mulher, como bem sabemos, foi salva por Jesus quando o mesmo desafia os seus acusadores a atirarem as pedras desde que não tivessem pecados.

Estevão, por sua vez, mesmo sendo fiel e íntegro diante de Deus, é apedrejado até a morte nas ruas de Jerusalém sem que ninguém possa salvá-lo das pedras.

Situações que nos fazem pensar. Por que uma mulher pecadora é salva de ser apedrejada e um homem justo é apedrejado? Por que Quíron, sendo bom é atingido pela flecha envenenada de Hércules e, devido ao seu sofrimento, deseja a morte, enquanto Nesso, sendo mau, deseja viver ou postergar sua posteridade?

O que é o sofrimento? Por que as pessoas sofrem? Onde está Deus diante do sofrimento? Por que crianças inocentes morrem diariamente em solo africano sem que não haja uma intervenção divina? Por que os maus triunfam? Quíron sofre porque faz o bem. Nesso, por sua vez, sofre porque deixa os seus instintos conduzirem seus desejos. O sofrimento de um o prazer do outro. Como diferenciar a dor do prazer? Como podemos evitar o sofrimento?

Marcel Proust já dizia que “só nos curamos de um sofrimento depois de o haver suportado até o fim”, Dostoiéveski salienta que “às vezes o homem prefere o sofrimento à paixão” e Oscar Wilde afirma que “posso partilhar tudo, menos o sofrimento”. Então, compartilho a angústia e fico com o meu sofrimento.
Odair José

por Odair José

Poeta e Escritor Cacerense, professor de História, especialista em Gestão Ambiental e Técnico Administrativo daUnemat.
+ artigos

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet