Artigos / Renato Gomes Nery

09/08/2017 - 13:29

​Cautela e caldo de galinha

Enviar para um amigo Imprimir
É notório que atravessamos uma quadra difícil da vida nacional. A imprensa noticia que existem no Brasil 13 milhões  de desempregados.  A procura de uma saída para transpor o desemprego é insana.
Do subemprego a vendedores ambulantes, as pessoas  tentam defender o pão de cada dia. Os únicos ainda, tranquilos são os servidores públicos, com exceção do Estado do Rio de Janeiro, que gozam de direitos e vantagens  não acessíveis ao resto de empregados deste  Brasil varonil.
 
 E neste momento de crise aparecem aqueles  que estão dispostos a desfazer do seu pequeno patrimônio para investir num sonhado “negócio”. Pode esta aí escondida uma consumada armadilha para prender os incautos.
 
Um “negócio! Qual “negócio”? Uma loja de roupas! Um bar! Um salão de beleza”! Uma pousada! Por que não num Shopping! E por ai vão as pretensas opções de quem quer dar uma virada na vida.
 
Qualquer “negócio” exige experiência que  não têm os  pretensos empreendedores. Eles não sabem dos percalços para abrir e tocar em frente uma empresa. Não tem conhecimento do negócio, nem do cipoal da legislação trabalhista, previdenciária e fiscal. E, muito menos, da selvagem  concorrência que irá enfrentar.
 
O entusiasmo é um severo inimigo que conspira para que o pretenso empreendedor só pense no sucesso e esqueça que um “negócio” tem muitos e obscuros  riscos e pode não dá certo. Será que já se pensou em quantas empresas fecharam as portas nos últimos  anos!
 
Se optar por uma franquia, tome cuidado! Um negócio do China pode ser um consumado equívoco e leva-lo a trabalhar para enriquecer o franqueador. Não esqueça que mesmo  no “vermelho” se paga  as taxas de royalites e marking. Nomes estes que você sequer conhece.
 
Ser for abrir  um “negócio” em Shopping redobre os cuidados, pois lá se estará lidando  com um locador profissional que irá fazer você assinar um contrato de adesão onde  consta um ponto que não existiu; um aluguel que você não sabe (13º aluguel); uma multa absurda para você sair de lá se o seu empreendimento não der certo. Entre outras e desagradáveis surpresas. Afinal você é pequeno! Os abusos  contra os pequenos e vulneráveis no Brasil  costumam ser severos.
 
Não há nada que não possa piorar, principalmente, a situação das pessoas! Não esqueça que o diabo mora nos detalhes. E estes detalhes podem leva-lo a entregar os seus poucos bens, seu sossego e  a sua imaculada alma ao capeta. Lembre-se que cautela e caldo de galinha não faz mal a ninguém!
Renato Gomes Nery

por Renato Gomes Nery

é advogado em Cuiabá
+ artigos

Comentários

inserir comentário
0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Oeste. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Oeste poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet